Carreira

"Lima, com sua bela voz, encantou a Sala, mostrando todo talento que possui. Cênica e tecnicamente, a soprano é indefectível. Esperamos ver ainda muitas óperas protagonizadas por ela, de preferência heroínas puccinianas e veristas, que, acredito, sejam ideais para sua voz. Brava!" Site Movimento.com, março de 2015.
Renaud, Sala Cecília Meireles

"Eu realmente fiquei boquiaberto com a performance da soprano, ela conseguiu me fazer verter lágrimas, não só pela sua voz maravilhosa, como também pela sua atuação tão intensa."
André Effgen, agosto de 2014.
Suor Angelica, Theatro Municipal do Rio de Janeiro.


"Mas coube a soprano Marianna Lima o resplandecente protagonismo. Sua Lisetta emanava humor e jocosidade".
Site Movimento.com, dezembro de 2012.
L'oro non compra amore, Theatro Municipal do Rio de Janeiro


Bacharel em Piano e Mestre em Música pela Universidade Federal do Rio de Janeiro, Marianna Lima foi segundo lugar geral no concurso realizado em 2013 para o Coro do Theatro Municipal do Rio de Janeiro. Já foi orientada por Veruschka Mainhard, Murilo Neves, Fernando Portugal e Izabel Vivante e, atualmente, pela soprano Eliane Coelho. Já se apresentou como solista em importantes salas de concerto como o Theatro Municipal do Rio de Janeiro, Sala Cecília Meireles e o Teatro Municipal de Niterói, com importantes orquestras como a Orquestra Sinfônica Brasileira e a Orquestra do Theatro Municipal.

No seu repertório operístico encontramos importantes papeis para soprano, destacando-se Suor Angelica (Suor Angelica, Puccini), Mimi e Musetta (La Boheme, Puccini), Odabella (Attila, Verdi), Giselda (I Lombardi alla prima crociata, Verdi), Lisetta (L'oro non compra amore, Marcos Portugal), Chimène (Le Cid, Massenet), Maria Stuarda (Maria Stuarda, Donizetti), Anna Bolena (Anna Bolena, Donizetti), Elisabetta (Roberto Devereux).

Em 2016 participou como solista do Concerto em comemoração ao aniversário do Theatro Municipal do Rio, com grande aclamação do público; foi Garcias na ópera Don Quichotte de Massenet na produção do Theatro Municipal do Rio. Em 2015, foi solista da Petite Messe Solennelle de Rossini em concerto realizado com Coro e Orquestra de Theatro Municipal do Rio, sob regência do maestro Jésus Figueiredo; interpretou Ilara e Delia nas óperas Lo Schiavo e Fosca de Carlos Gomes no projeto Opera do Meio dia; interpretou Antiope, Doris e Coryphée na ópera Renaud de Sacchini, na Sala Cecília Meireles junto a Orquestra Sinfônica Brasileira sob regência de Bruno Procópio, com grande sucesso de crítica. Em 2014, foi o papel titulo da opera Suor Angelica de Puccini no projeto Opera do Meio-Dia realizado no Theatro Municipal do Rio, com sucesso de critica e temporada estendida; foi Mimi em La Boheme de Puccini na abertura do Festival de Inverno de Nova Friburgo e no encerramento do Festival de Inverno de Petrópolis. Em 2013, junto ao coro sinfônico da Associação de Canto Coral, apresentou trechos da opera I Lombardi alla prima crociata de Verdi, sendo Giselda, em palcos como a Cidade das Artes e na Academia Brasileira de Letras; foi solista na ópera Medee de Cherubini com a OSB Opera e Repertório no Theatro Municipal do Rio de Janeiro. Em 2012, atuou como Mimi na montagem de La Boheme de Puccini com a Cia Lírica no Teatro Municipal de Niteroi; foi marcante sua atuação junto com a Orquestra Sinfônica Brasileira Opera e Repertório, sob regência do maestro Bruno Procopio, na ópera L'oro non compra amore do compositor português Marcos Portugal, arrancando aplausos acalorados e muitos risos da plateia do Theatro Municipal do Rio de Janeiro. No ano de 2011, Marianna foi uma das solistas na montagem da Missa em Si menor de J. S. Bach para solistas, coro e orquestra, uma das obras mais importantes do compositor, junto da Cia Bachiana Brasileira, sob regência do maestro Ricardo Rocha, apresentando-se na Igreja da Candelária no Rio de Janeiro e no Teatro Municipal de Niterói.